A inovação e a tecnologia combatem as alterações climáticas?

A inovação e a tecnologia combatem as alterações climáticas?
Maria Oliveira
UPTEC – Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto

“A inovação e a tecnologia podem ser um forte aliado no combate às alterações climáticas”. Este é o mote para o ClimateLaunchpad, uma competição mundial que procura ideias de negócio para combater este tipo de alterações ambientais.

Em Portugal, o programa é organizado pela UPTEC – Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto, pela LIPOR, pela Smart Waste e pelo Pacto Português para os Plásticos.

O ClimateLaunchpad procura, assim, ideias de negócio relacionadas com energias renováveis, economia azul, transição sustentável na cadeia alimentar, economia circular, mudança de mentalidade na mobilidade urbana, entre outras.

A diretora de Negócio da UPTEC, Maria Oliveira, afirma que “a inovação e a tecnologia podem ser um forte aliado no combate às alterações climáticas“ e que, para a entidade, “é essencial apoiar soluções cleantech que promovam a transição sustentável”.

“O Climatelaunchpad, pela rede de contactos e oportunidades que proporciona, é o programa ideal para ideias de negócio que pretendam mitigar os efeitos negativos no clima”, acrescenta.  

Durante o programa, os participantes vão ter oportunidade de participar num curso online e num bootcamp intensivo de três dias com um formador certificado da EIT Climate-KIC, iniciativa da União Europeia em inovação associada ao clima.

Os participantes terão, ainda, acesso a um treino de pitch e a sessões de mentoria com especialistas em sustentabilidade ambiental e economia circular, incluindo profissionais das entidades organizadoras deste programa em Portugal.

Os três vencedores da final nacional vão representar Portugal na final regional da competição, que decorre em setembro, e usufruir de incubação gratuita na UPTEC, durante três meses. 

No País, já existem vários parceiros que se associaram à competição cleantech, como é o caso da Câmara Municipal de Matosinhos, da Faber, da Grosvenor, da Innovayt, da Ordem dos Engenheiros – Região Norte e da Patentree.

Os premiados terão, através destes parceiros, a oportunidade de apresentar a sua ideia de negócio ao fundo de investimento de oceanos/clima da Faber; aceder a formação da Grosvenor nas áreas de impacto, sustentabilidade ou oportunidades de investimento; usufruir de consultoria da Innovayt para definir a estratégia de financiamento da empresa; obter formação na Ordem dos Engenheiros – Região Norte; bem como conseguir apoio da Patentree na definição da estratégia de propriedade intelectual.

Esta competição teve início em 2014 e, deste então, já se candidataram ao ClimateLaunchpad quase 12 mil ideias de negócio de 55 países de todo o mundo. A decorrer em Portugal desde 2016, o programa já apoiou mais de 60 equipas e conta com três vencedores internacionais – Pavnext, Eco2blocks e Mudatuga.

Partilhe

Talk

Que energia para uma Europa em guerra, que expectativas face a um futuro incerto?

Edição

Que energia para uma Europa em guerra, que expectativas face a um futuro incerto?

Receba em exclusivo 0 2050

Newsletters, Talks, Edições, Podcasts sobre Sustentabilidade, Eficiência, Inovação, Mobilidade e Pessoas.